Monthly Archives: Março 2012

Musa de Estilo: Duquesa Kate

Padrão

As peças básicas do look

Uma aspirante a rainha, há anos que a atual duquesa de Cambridge está habituada aos flashes dos fotógrafos e a ver todos os seus passos monitorizados, e tudo o que veste comentado, adquirido e – esgotado!

Adepta de um estilo clássico e actual, que tanto opta por jeans e blazer em ocasiões mais informais, como vestidos e saltos altos nos seus compromissos oficiais, a duquesa não abdica das marcas mais comerciais (e económicas), como a Topshop, dando o exemplo de estilo “low cost” em tempos de crise. No entanto, fiel à tradição britânica, não dispensa as peças Burberrys no seu closet, as clutches e sapatos LK Bennet e os vestidos e casacos de Catherine Walker, a designer favorita da falecida princesa Diana. Um toque de modernidade é adicionado pela sua preferência pela marca (brasileira!) Issa, que desenhou o vestido azul-navy, usado no anúncio do seu noivado. A marca atualizou a peça para a nova estação e, quem quiser, pode adquiri-lo em vermelho-fogo. No entanto, Kate também é adepta da reciclagem e é vista com frequência a reutilizar peças em diferentes ocasiões, sejam vestidos ou chapéus, em diferentes combinações. Inclusivamente, foi já “apanhada” a usar um vestido… da mãe!

Recentemente, a duquesa visitou um dos recintos que vai receber os jogos Olímpicos de Londres, num ambiente informal, usando um conjunto de jeans, blusa e blazer, conjugando a tendência coral e o clássico navy, ao qual conferiu um pouco mais de seriedade com os saltos altos pretos. Como acessório, um lenço de seda com um mix de ambas as cores, dando unidade ao conjunto. Com o seu exemplo, ter um estilo clássico e atual quase parece simples!

Até já!

PS – foi a minha primeira “fotomontagem”… prometo que as próximas serão bem melhores!!!

Créditos:

(Foto – elleuk.com; Blazer – Mango; Blusa – Mango; Jeans – Zara; Sapatos – Mango; Lenço – McQueen no net-a-porter)

 

Este já cá mora!

Padrão

Vestido Mango

Aproveitando a revisão de preços da Mango, anunciada há duas semanas, fui espreitar in loco a nova coleção e não resisti a trazer este mimo comigo para casa. Já estou a planear coordenados dress up (salto alto, cinto obi e clutch) e down (sandália tipo gladiador, cinto de juta e mala XL), tenho apenas de comprar uma combinação (à antiga) de cor nude, porque as transparências não são comigo. A marca lançou este modelo em verde e navy, cores mais discretas, mas que é que querem, adoro o rosa bubblegum (coral, para ser mais exata)!

Curiosamente, a minha relação com o rosa – no geral – sempre foi tempestuosa: afastado do meu guarda roupa de maria-rapaz na adolescência e juventude (assim como o laranja e amarelo), foi-se lentamente reinstalando já após a faculdade, em diferentes tonalidades: primeiro os escuros-violetas, depois os claros e fortes. Mais recentemente surge o laranja – ainda muito frugal – e o amarelo – apenas em acessórios. Esta primavera, no entanto, pretendo inundar-me de cores. Acho que comecei bem!

Até já!

Parceiros de sucesso

Padrão

Nos últimos anos, assistimos ao fenómeno das parcerias entre as cadeias de maior consumo e os designers das grandes marcas ou celebridades/bloggers/atrizes transformadas em designers, como forma de dar mais visibilidade a uns e fortalecer a aceitação de outros junto ao grande público. A minha atenção foi captada para esta nova forma de criar “moda” pela parceria da Mango com as irmãs Cruz – Penelope (modelo) e Mónica (designer) – numa colecção “cápsula” lançada há alguns anos atrás. Também pela mão da Mango surge a atual coleção de Kate Moss, depois de uma bem sucedida aventura com a TopShop. A marca tem também uma mini-coleção com 3 bloggers europeias – e que não me cativou. Enfim, são gostos.

A H&M enveredou pelo mesmo caminho, há uns anos atrás, ao elaborar uma linha de vestuário – mais desportivo – para a tournée de Madonna, tendo em mente o seu corpo de bailarinos. E esta cadeia seguiu em frente, acabando por fazer esgotar todos os itens das suas parcerias com as casas de alta costura, sendo a Marni o último exemplo (adorei as pulseiras!), e a Versace o mais bem conseguido, na minha opinião. Agora, partiu para a roupa interior, associada ao sr. Beckham. Só pelos cartazes, vale a pena espreitar a secção masculina das lojas. Anyway…

Das centenas de parcerias que podia destacar, no entanto, fico-me pela mais divertida, arrojada e útil que encontrei nos últimos tempos: a da marca brasileira Melissa, que abriu recentemente uma loja no Soho, em NY, cimentando a sua veia expansionista (são os Descobrimentos, mas ao contrário). Com Jean Paul Gaultier, Jason Wu e Vivienne Westwood como cabeças de cartaz, a marca sai do tradicional chinelo de praia para as cunhas, sabrinas e saltos altos, todos em borracha perfumada, laváveis e giríssimos! As mini melissas então… ai ai…

Ficam alguns exemplos, mas podem encontrar todos os modelos no site da marca e em várias lojas espalhadas pelo país. E quem for ao Brasil (ou a NY), já sabe… ;o)

Até já!