Monthly Archives: Maio 2013

As “sobras” do Metropolitan…

Padrão
Alexa Chung em Erdem

Alexa Chung em Erdem

Houve tanta e tão boa moda no baile do Met (pronto, e algumas más), que não consegui ainda dar conta de tudo. Aqui ficam as imagens das fashionistas que optaram pelo preto, e para mais tarde prometo novas imagens das mais elegantes da noite…

Até já!

Miranda Kerr em Michael Kors

Miranda Kerr em Michael Kors

Lena Dunham com e em Erdem

Lena Dunham com e em Erdem

Joan Smalls com e em Tom Ford

Joan Smalls com e em Tom Ford

Jessica Biel em Gianbattista Valli

Jessica Biel em Gianbattista Valli

Jennifer Morrison em Donna Karan

Jennifer Morrison em Donna Karan

Créditos: Style.com

Spanx!

Padrão
Jessica Chastain em Cannes (e os seus Spanx)

Jessica Chastain em Cannes (e os seus Spanx)

Comecemos pelo princípio: roupa interior. É a base escondida (e muitas vezes negligenciada) de qualquer look, e deve ser escolhida com atenção e cuidado. As cores, as formas, o tipo de alças, são pormenores que não podemos esquecer na altura de escolher o que vestir, pela manhã. Se o top é decotado, o soutien é a preocupação principal; se as calças são justas e de cor clara, olhamos mais a sul, e desesperamos com a marca do elástico (microfibra, senhoras, é a solução). E isto é só o começo, porque quando existem áreas problemáticas a considerar, a escolha torna-se ainda mais complexa. Em vestidos justos e sexy, como disfarçar aquela gordurinha a mais, nas ancas, barriga, ou noutro sítio qualquer? É difícil, mas não impossível. Mas para o conseguir, vamos recuar no tempo…

Imaginem aquelas roupas interiores antiquadas, que as nossas mães/avós usavam, nas décadas de 50 e 60. Antes da liberdade dos anos 70, a roupa interior era restritiva, inibidora, púdica – mas mantinha tudo no seu devido lugar. Silhuetas perfeitas, sem um pingo de gordura a mais. Tendo isso em mente, uma americana foi mais além e resolvem trazer a roupa interior das nossas avós para o século XXI, inovando nos tecidos utilizados e na capacidade de – literalmente – modelar o corpo das mulheres. Sara Blakely, a visionária em questão, criou a marca Spanx, que começou com as tradicionais “cuecas-cinta”, para evitar as marcas de gordura nas ancas e na barriga, mas cresceu para soutiens, ceroulas, camisolas interiores, cuecas que elevam o rabo, que apertam e modelam nos sítios certos. E até já têm uma linha de homem.

Celebridades - e as suas Spanx

Celebridades – e as suas Spanx

A aceitação nos EUA (com o grau de obesidade daquela malta, seria de esperar) foi de tal modo que, em pouco tempo, os seus produtos podiam ser encontrados um pouco por todo o mundo. E nem as celebridades internacionais se inibem de usar, e confirmar que usam, a famosa roupa interior. As irmãs Kardashian, Oprah, Beyoncé, Jessica Alba – pensem em alguém que pese mais de 50 quilos, com mais de 20 anos, e acreditem: ela/ele usam Spanx. Sobretudo nas red carpets. A prova? Jessica Chastain, em Cannes, usando um lindíssimo Givenchy violeta – com Spanx a condizer. A marca não produz nesta cor, o que quer dizer que a equipa de styling da atriz tingiu a roupa interior propositadamente para a ocasião. E não é de espantar, uma vez que estes eventos significam milhões em publicidade para as casas de alta costura.

Por cá, podemos encontrar as Spanx no Net-a-Porter, mas esperem pagar umas dezenas de euros por cada peça. A roupa interior faz milagres? Não, mas ajuda: as Spanx não fazem desaparecer todos os quilos a mais, mas ajustam e alisam os “bumps”. Portanto, se não gostam do que vêm, falem com o médico de família, cortem no pão, peguem nos ténis e corram!

Até já!

Créditos: Fashionista e aqui.

E dura, e dura, e dura…

Padrão
E dura, e dura, e dura…

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mais red carpet de Cannes, mais vestidos lindíssimos, muito Roberto Cavalli, e a namorada do nosso Ronaldo a chamar a atenção de toda a gente (eles ainda namoram?). A tendência do branco continua bem forte – e os decotes também!

Até já!

Créditos: Style.com